Capa » Covid-19 » Dermatologistas lançam guia para esclarecer à população sobre relação entre covid-19 e manifestações cutâneas

Dermatologistas lançam guia para esclarecer à população sobre relação entre covid-19 e manifestações cutâneas

Para ajudar a população a entender de forma didática e simplificada como o vírus causador da pandemia pode deixar sinais evidentes na pele, cabelo e unhas, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) acaba de lançar o “Guia sobre a covid-19 e suas manifestações cutâneas”. A publicação trazer informações importantes sobre o tema, inclusive alerta que lesões cutâneas decorrentes dessa doença podem ser parecidas com as de outras. Por conta disso, esclarece a SBD, é importante a avaliação de cada caso por dermatologista para diagnóstico e tratamento corretos.

ACESSE O GUIA SOBRE COVID NA ÍNTEGRA

No “Guia sobre a covid-19 e suas manifestações cutâneas”, os especialistas enfatizam que, embora os principais sintomas da doença sejam respiratórios, estima-se que seis em cada grupo de 100 pacientes com a doença apresentam alguma manifestação na pele. Apesar do número parecer baixo, o texto ressalta que identificar quadros nesta situação ajuda no diagnóstico precoce da covid-19 e no acompanhamento dos casos.

Pacientes com covid-19 podem apresentar lesões na pele, sendo as mais comuns manchas vermelhas. Elas são chamadas de “exantema” ou “rash”. Os especialistas pontuam que surgem nos primeiros dias da doença e podem coçar e descamar. A melhora ocorre de forma espontânea, com a recuperação do quadro clínico.

Por sua vez, outras lesões, como a urticária, podem preceder sintomas gerais ou surgir concomitante a eles. O documento traz ainda a informação de que há relatos de pacientes em que lesões de pele foram o único sintoma da doença, uma situação que tem sido avaliada pela comunidade científica.

Cabelos – A covid-19 pode desencadear, ainda, queda capilar intensa, também chamada de eflúvio telógeno. Esse sintoma se inicia de um a três meses após a infecção viral e a duração é variável. Os médicos frisam que medidas como alimentação adequada e lavagem dos cabelos na frequência recomendada podem ajudar. Em alguns casos, o tratamento específico com suplementação de nutrientes e medicações pode ser necessário, devendo ser orientado por dermatologista.

Outra manifestação relatada é a chamada de “dedos covid” ou pseudo eritema pérnio. Eles se caracterizam por manchas arroxeadas ou vermelhas nas pontas dos dedos dos pés, mãos, nariz e orelhas, que podem ser acompanhadas de leve inchaço, aumento da sensibilidade, queimação e dor. A melhora também ocorre espontaneamente em algumas semanas, podendo ser necessário o auxílio de medicações analgésicas e anti-inflamatórias. Dentre as crianças, essa é a manifestação cutânea mais comum e indica pouca gravidade da doença.

O trabalho publicado pela SBD, que comemora 110 anos de fundação, aborda ainda a relação das vacinas para covid-19 com problema de pele. O Guia explica que reações cutâneas também podem ocorrer após o uso de qualquer tecnologia, sendo mais comum a reação no local da aplicação (imediata ou tardia). Nestas situações, há edema, vermelhidão e dor local, o que pode exigir tratamento com medicamentos. Porém, o documento ressalta que, até o momento, não existe reação cutânea à vacina que impeça a aplicação da segunda dose ou dose de reforço, quando indicadas.

Notícia enviada porSociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Receba nossa newsletter e fique por dentro das novidades do mercado Clique aqui