Capa » Notícias » Após cobrança do Idec, ANS confirma que Amil deve continuar com carteiras de planos individuais

Após cobrança do Idec, ANS confirma que Amil deve continuar com carteiras de planos individuais

Operadora havia transferido os planos para a Saúde APS em dezembro de 2021

Após pressão realizada pelo Idec e pela sociedade civil, a Diretoria Colegiada da ANS (Agência Nacional de Saúde) determinou que os planos de saúde que a Amil tentou transferir para a APS fiquem com a própria Amil.

A decisão foi tomada após a agência requerer informações e constatar que a APS não seria capaz de administrar de maneira autônoma os mais de 300 mil consumidores vinculados, sem colocar em risco a continuidade e qualidade da assistência à saúde. De acordo com a ANS, ela acompanhará de perto o cumprimento da decisão.

A luta para que essa determinação fosse feita foi resultado da pressão da sociedade civil com apoio direto do Idec, que cobrou por diversas vezes a ANS para aprovar, em definitivo, a decisão da Amil permanecer com os planos.

“O Idec fez um pedido nesta semana para que a ANS mantivesse a decisão cautelar e não autorizasse a transferência dos planos individuais. A decisão tomada pela Agência é acertada e vem para dar segurança a mais de 300 mil consumidores, sinalizando ao mercado, ainda, que situações como essa não podem voltar a acontecer”, afirma a advogada do Idec, Marina Paullelli.

Com a decisão de hoje, a Amil deve manter o atendimento aos consumidores que têm planos individuais e familiares com a operadora, sem qualquer prejuízo ao direito à informação e à qualidade de atendimento.

Além disso, as condições dos contratos devem ser mantidas. Isso significa que nada pode mudar para o consumidor do ponto de vista dos critérios de reembolso, rede credenciada, procedimentos para cancelamento, condições de franquia e coparticipação e etc. Caso isso aconteça, o usuário deve entrar em contato com a operadora e com a ANS para registrar uma reclamação. O Idec disponibiliza modelos de cartas que podem auxiliar a fazer a reclamação para a agência, confira algumas delas:

O consumidor também deve reclamar para a ANS, caso não tenha sido informado previamente, de forma individual, desde 2021, sobre alterações na rede credenciada. O mesmo deve ocorrer em caso de interrupção de tratamentos. Em último caso, é possível, ainda, entrar com uma ação judicial para garantir cobertura aos procedimentos necessários, conforme prevê o CDC e a Lei de Planos de Saúde.

Sobre admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Receba nossa newsletter e fique por dentro das novidades do mercado Clique aqui